Campanha Varginha e Região: Não vamos pagar pela crise

617

O Sindicato dos Trabalhadores Gráficos de Minas Gerais convoca todos os trabalhadores e trabalhadoras gráficas a participarem da assembleia que irá decidir, no dia 29/09 (quinta-feira), através do voto, sobre a proposta apresentada pela patronal. É preciso que você venha e participe dessa decisão, que é um direito seu.

Na verdade os patrões querem que a classe trabalhadora, que é sempre a menos favorecida, pague pela sua ganância. Eles não abrem mão de manter seus lucros nas alturas e agora usam a crise como desculpa. Os trabalhadores de todo o país estão ouvindo a choradeira dos patrões dizendo que com a crise precisam reduzir custos. Na verdade, eles querem é aumentar seus lucros e jogar a crise nas costas dos trabalhadores, explorando mais nossa força de trabalho e sugando nosso sangue e suor.

Veja a diferença do trabalhador e do patrão: O PATRÃO quando quer reduzir custos com desculpa da crise eles têm onde reduzir, e sabe onde? Demitindo 20% (vinte por cento). Sempre demitem quem já conquistou um melhor salário para contratar 10% (dez por cento) com menores salários e desempenhar as mesmas funções. Assim, os lucros dos empresários permanecem, eles ganham mais e pagam menos.

O TRABALHADOR como vão cortar gastos? Mandar seus filhos e esposa embora de casa? Deixar de fazer compras? Deixar de pagar suas contas? Deixar de pagar aluguel?

Quando nós, trabalhadores, vamos lutar para o aumento de salário e melhores condições de trabalho os patrões alegam que não tem como nos pagar.

Fiquem atentos, várias gráficas estão implementando normas dentro de suas empresas que estão fora da CLT e CCT, por exemplo: dividir os retroativos em mais quantidade de parcela do que foi acordado na assinatura da CCT, Denuncie!

Os empresários fazem isto com o aval do governo. A medida provisória 680 aprovada pelo Governo Dilma permitiu que os empresários implementassem políticas de redução de jornada com redução salarial para proteger os lucros dos patrões. Mas para essa implementação há parâmetro legais, ou seja, a empresa tem que obedecer as regras básicas, como por exemplo, comunicar o Sindicato profissional através de oficio e, assim, outros passos são adotados como a convocação de assembleias com todos os trabalhadores.

A classe trabalhadora gráfica de Minas Gerais e de todo Brasil está atenta e exige mais respeito. Vamos aumentar nossas atividades, mobilizações e assembleias para pressionar os patrões e mostrar nosso valor. Somente com luta vamos avançar na nossa Convenção Coletiva de Trabalho.

 

ASSEMBLEIA DE AVALIAÇÃO SOBRE PROPOSTA PATRONAL

Dia 29/09/2016 (quinta-feira)

A partir das 18 horas

Local: Praça João Pessoa, 80, Centro – Varginha/MG