STIG-MG em defesa dos empregos na Fumarc

1259

O Sindicato dos Gráficos está em luta com os trabalhadores da Fumarc, que foram pegos de surpresa e receberam o aviso de demissão nesta semana. Estamos juntos pela defesa dos empregos e tomaremos todas as providências para que essa injustiça não aconteça. Convocamos todos os trabalhadores gráficos do Estado para se unirem neste momento e lutar contra o autoritarismo dessa fundação que se diz “Cristã”. Ligada a Igreja Católica, a Fumarc quer retirar o empregos de pais de família em um momento de grande desemprego no Brasil. Vamos à Luta!

 

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas, de Jornais e Revistas no Estado de Minas Gerais – STIG/MG

Em defesa dos empregos na Fumarc

Moção de apoio à luta dos trabalhadores da Fumarc

Na última quinta-feira, 28 de setembro, os trabalhadores da Fumarc foram surpreendidos com a notícia de que as atividades de seu parque gráfico estariam sendo encerradas, recebendo na mesma data o aviso de demissão de todos os trabalhadores ligados ao processo produtivo, incluindo uma diretora do Sindicato dos Gráficos de Minas Gerais e dois cipeiros.

A justificativa da Fundação, que é ligada à Sociedade Mineira de Cultura (mantenedora da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG) e que foi apresentada aos trabalhadores foi a inviabilidade econômica de manter seu parque gráfico. No entanto, até o momento a Fundação não apresentou nenhum documento que comprove esse fato.

A Fumarc sequer comunicou o Sindicato representante dos trabalhadores da categoria (STIG/MG), deslegitimando qualquer possibilidade de negociação e defesa dos empregos dos trabalhadores.

Em um momento de aumento do desemprego, atingindo mais de 20 milhões de trabalhadores brasileiros, a postura da Fumarc é autoritária, desleal com os trabalhadores e fere princípios da dignidade humana, demitindo pais e mães de família, alguns com mais de 20 anos de casa.

Exigimos que a Fundação suspenda as demissões, garanta estabilidade no emprego para todos os trabalhadores e abra um processo de negociação destes termos com o Sindicato da categoria.

O que está em jogo é o sustento de dezenas de famílias que dependem do trabalho na Fumarc.

 Não às demissões na Fumarc!

Estabilidade no emprego para todos os(as) trabalhadores(as)