Gráficos de Varginha e região lutam por melhorias

426

Durante mais uma assembleia realizada, no dia 15 de agosto, entre os trabalhadores gráficos de Varginha e região e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas, de Jornais e Revistas no Estado de Minas Gerais (STIG-MG) a proposta de reajuste salarial enviada pela patronal, de 5%, foi rejeitada.

Nessa mesma assembleia, os trabalhadores se uniram e aprovaram uma contraproposta de 6% de reajuste no salário. Também fazem parte da proposta dos trabalhadores a implantação do benefício do plano odontológico (no valor de R$ 18,00, por empregado) a ser custeado pelas empresas. Outro ponto tratado foi a ampliação da cobertura do seguro de vida, passando o STIG-MG a ser o estipulante, posto que nem todas as empresas vêm cumprindo o que está previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

A categoria discutiu e chegou a conclusão que o acréscimo em mais 1% do que foi oferecido pelo sindicato patronal, mais os benefícios solicitados não criarão impacto maior às empresas em relação ao já aprovado.

Diante disso, o STIG-MG, rapidamente, encaminhou um ofício ao Sindicato das Indústrias Gráficas de Varginha solicitando, o mais breve possível, a análise da contraproposta, bem como uma reunião entre as entidades para firmar a CCT 2017/2018.