Até quando teremos que suportar tanta violência?

218

O Sindicato dos Gráficos de Minas Gerais está de luto pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e de seu motorista, Anderson Gomes. O Diretor e representante legal do STIG-MG, José Aparecido Alves Ferreira, representou o sindicato no ato, em Belo Horizonte, que exige a imediata investigação e a punição dos assassinos.

Para José Aparecido Alves Ferreira, é preciso que todos os companheiros tenham consciência do momento que o país vive. “Mais do que nunca, precisamos nos unir e mostrar a nossa força. Venha trabalhador, participe das atividades do Sindicato e das lutas dos trabalhadores de todo o país. Só assim vamos mudar essa triste realidade”, afirma.

O Sindicato dos Gráficos também não vai se calar diante desse caso e de tantos outros que tem como culpados os políticos corruptos e covardes, como o presidente golpista Michel Temer e seus aliados.

Além da barbaridade do crime, esse caso também alerta para uma triste realidade no Brasil: a dos altos índices de homicídios de homens e mulheres negras, moradores de periferias.

No Brasil, doze mulheres são assassinadas todos os dias, em média. São 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios, ou seja, casos de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero. Desse percentual, 65% das mulheres mortas são negras.

A própria vereadora, vinha chamando a atenção das autoridades e denunciando casos de covardia e tortura, por parte da polícia, com jovens negros das comunidades cariocas.

Não vamos nos calar, jamais!

 

Compartilhar